O silêncio é doçura:


Quando não respondes às ofensas,


Quando não reclamas os teus direitos,


Quando deixas à Deus a defesa da tua honra.




O silêncio é misericórdia:


Quando te calas diante das faltas de teus irmãos,


Quando perdoas sem remoer o passado,


Quando não condenas, mas intercedes em segredo.




O silêncio é paciência:


Quando sofres sem te lamentares,


Quando não procuras consolação junto aos homens,


Quando não intervéns, esperando que a semente germine lentamente.




O silêncio é humildade:


Quando te apagas para deixar aparecer o teu irmão,


Quando, na discrição, revelas dons de Deus,


Quando suportas que tuas ações sejam mal interpretadas,


Quando deixas aos outros a glória da obra acabada.




O silêncio é fé:


Quando te aquietas, sabendo que é Ele quem age...


Quando renuncias às vozes do mundo para permanecer na Sua Presença...


O silêncio é ouro:


Quando te basta que só Ele te compreenda.












Ah!...inspiração, onde te escondes?
Já não consigo ouvir teus sussurros
que me faziam traduzi-los em poesias
...





Tal qual um girassol, que gira,









em busca da luz do sol, eu te procuro.








Quero de novo te encontrar e sentir








teu suave sussurrar, que me faz sonhar!..











Volta de onde estiveres.








Não te demores!








Traze de volta os sonhos meus








que entrelaçados em ti, inspiração,








fazem pulsar feliz meu coração poeta!




Traze de volta o brilho dos olhos meus,









que, ao poetar teus doces sussurros,








transbordam lágrimas de amor,
de saudade, de querer sentir
o amor que se entrelaça








aos versos do meu poetar,








mesmo que seja apenas








um sonho.










Um sonho que preciso voltar a sonhar,








para então, fazer pulsar forte








este meu coração, que tristonho,








busca te encontrar.



















...doce inspiração,
volta de onde estiveres.
Volta depressa,
Volta!..


"Agora nada mais resta volto a me trancar e cuidar das minhas pétalas..."